O estresse é um dos maiores distúrbios que acometem as pessoas atualmente. A acupuntura além de nos livrar das tensões e ajudar-nos a atingir um estado emocional privilegiado, pode e deve ser usada na prevenção de doenças e para obtenção e manutenção do equilíbrio do organismo. O texto do Dr. Flavio Hashimoto, parcialmente reproduzido abaixo expõe como o estresse afeta diretamente a saúde física e mental e como a acupuntura pode ser usada para tratar o problema.

Com o evidente avanço científico e tecnológico, houve muitas facilidades, criaram outros modelos, agilizaram os serviços, aumentaram a produção, com isso tudo o mundo gira mais rápido, o tempo tornou-se mais curto, e com todas estas transformações surgiram mudanças de comportamentos e de atitudes nas pessoas.

As pessoas modificaram os hábitos, aumentaram as necessidades, as despesas e as preocupações, e com isso o ritmo de vida disparou. Vivemos um período mais Yang, em que predomina a energia masculina, mais competitiva, da ação, expansiva, dominadora, mais rápida, do ter (posse), em oposição a um período em que já evidenciamos e vivemos, a característica Yin, a energia feminina, mais cooperativa, da reflexão, introspectiva, conciliadora, mais calma, da doação (caridade).

Na característica Yin, vivíamos um período mais contemplativo, parecia que o tempo demorava a passar, brincávamos mais, conversávamos mais, não tínhamos tanta pressa, apreciávamos mais o dia a dia. Agora vivemos sempre preocupados, ocupamos a nossa mente com o futuro, esquecemos de vivenciar o momento presente, com isso agitamos a nossa mente, inquietamos o nosso espírito, gerando ansiedade e preocupações muitas vezes infundadas.

Um dos primeiros sintomas do estresse são a ansiedade, a irritação e a preocupação excessiva, seguidos pela falta de memória , dificuldade de concentração, cansaço persistente, distúrbios no sistema digestivo (diarréias, gastrite, constipação), diminuição na qualidade do sono, insônia, sono agitado, pesadelos, cervicalgias tensionais, lombalgias, torcicolos freqüentes, dor no pescoço associado com cefaléias, aumento do tônus muscular favorecendo as lesões por esforços repetitivos, ranger dos dentes, taquicardia, hipertensão, e desânimo.

E como a acupuntura pode reduzir o estresse?

A acupuntura induz a produção de hormônios anti-estressantes: as encefalinas, endorfinas, serotonina, e dopamina, que neutralizam os hormônios do estresse: a adrenalina e o cortisol, produzindo uma sensação de bem estar geral, benefício analgésico, antiespasmódico, relaxante muscular e efeito calmante. A sua atuação permite diminuir a freqüência cerebral, onde o indivíduo consegue atingir um relaxamento profundo, melhora da capacidade pulmonar, aumento da reexpansão pulmonar (amplitude torácica), melhor oxigenação tecidual e cerebral, melhora do aporte sanguíneo, facilitando a eliminação das substâncias tóxicas do organismo.

As terapêuticas orientais estão fundamentadas na Lei do Equilíbrio, o Taoísmo, na qual as duas formas de energias que são opostas interagem entre si e se complementam, o Yang (+) e o Yin (-). O organismo humano trabalha numa troca constante com o meio ambiente, numa simbiose perfeita, num equilíbrio dinâmico. Qualquer interferência extremada poderá causar a quebra dessa conjunção gerando a desarmonia e os conflitos. Desse modo as influências externas comprometem diretamente o funcionamento dos nossos sistemas orgânicos.

Sendo toda forma de excessos uma maneira de se estressar, procure respeitar o seu limite pessoal, procure “ouvir” o seu organismo, ele te manda sinais de que algo não vai bem contigo através de sintomas. Seja ponderado no trabalho, nas atividades físicas, na alimentação, nas emoções e sentimentos. A Lei do equilíbrio ainda é a melhor maneira de preservar a boa saúde. Existe uma frase chinesa que diz: “Não adianta cavar um poço apenas quando se tem sede”. Portanto preserve a tua saúde a cada hora, a cada dia, pois se a perderes, poderás nunca mais encontrá-la.

fonte: http://www.clinicahashimoto.com.br/